Notícias

Conselho directivo do Instituto do Desporto e da Juventude já tomou posse


Frederic Mbassa, Presidente do IDJ
15 Jun 2020 Desporto

Frederic Mbassa, Ivanilda Reis e Graciano Sena  são os membros que integram o conselho directivo do IDJ

O Governo empossou esta segunda-feira os membros do conselho diretivo do Instituto do Desporto e Juventude, presidido por Frederic Mbassa, que será coadjuvado por Ivanilda Reis, que se ocupa da pasta de juventude e por Manuel Graciano Sena, para área do desporto.

A partir de agora, este Instituto passa a gerir e executar todas as políticas públicas nestes dois domínios.

A meta do Governo é dar continuidade a reformas legais e institucionais, estruturar novos mecanismos de financiamento nos dois setores, generalizar a prática desportiva e o associativismo juvenil e fazer um acompanhamento mais de perto das políticas públicas para a juventude.

O ponto de partida para se alcançar tudo isto, diz o presidente do Instituto do Desporto e Juventude, Frederic Mbassa, será a formalização do desporto e ter o panorama estatístico real deste domínio, além de um plano estratégico específico.

“Dados que permitam a análise do quadro geral do desporto, permite muita coisa: permite cooperação, mobilização de recursos financeiros, permite estruturação, permite previsibilidade o que vamos fazer juntamente com outros parceiros de outras áreas e permite-os da outra visibilidade, outra amplitude ao desporto cabo-verdiano.”

Outra meta é tornar o desporto mais acessível, sobretudo, a alguns grupos já identificados, como explica o ministro da tutela, Fernando Elísio Freire.

“As mulheres no mundo rural, as pessoas com deficiências que têm muita dificuldade no acesso a parques desportivos e à actividade física e desporto. Isso passa por programas específicos, estamos a desenvolver neste momento o Programa Nacional de Actividade Física que leva monitores a todos os municípios e aldeias para terem acesso à educação física.”

Mas, há também o setor da juventude que demanda respostas estruturadas e urgentes nas àreas mais delicadas da governaçao e cujas políticas públicas estao espalhadas por diversos departamentos, que ultrapassam o do desporto. O Instituto, diz Frederic Mbassa, será o elo de articulaçao das diversas iniciativas.

“Temos ao mesmo tempo a preocupação com o emprego, com o sector que lida com o emprego e formação profissional; temos preocupação com a habitação, temos preocupação com a saúde, a juventude é transversal. Será um instituto complementar dessas políticas. Irá agarrar e apresentar também á juventude tudo o que tem sido feito, que é muito bom, e propor, obviamente, novos horizontes.”

Fernando Elísio Freire explica a nova configuração, tendo em conta que o setor da juventude chegou a ter ministério próprio em governações anteriores e volta agora a estar atrelado ao desporto.

“Porque nós queremos é um desporto e uma juventude de valores. Como sabe, o desporto promove o trabalho de equipa, honestidade, cumprimento de regras, trabalhar muito para ganhar e reconhecimento do mérito. Se tivermos um jovem com estas garantias, será um excelente cidadão, um excelente profissional, independentemente da área que escolher.”

Por agora, o conselho diretivo deverá trabalhar na regulamentação da estrutura orgânica, já que foram extintas, por exemplo, a Direçao-Geral do Desporto e a Unidade de Gestao do Estádio Nacional, cujas atribuiçoes são agora do Instituto Do Desporto e Juventude.

Emerson Pimentel, RCV/Praia
Editado por Benvindo Neves


pub

Vídeos Relacionados

Comentários

pub

Pesquisar