Notícias

Boa Vista: docentes dizem-se preocupados e desprotegidos neste início de ano letivo


31 Dez 1969 Sociedade

Na ilha da Boa Vista, no arranque da atividade letiva, professores queixam-se da falta de materiais de proteção e higienização. Os docentes mostram-se preocupados, e dizem estar desprotegidos.

A RCV esteve na escola Riba D´Olte e conversou com duas professoras, que chamaram a atenção da ministra da educação. Assim como noutros pontos do país a actividade lectiva iniciou esta quinta-feira na ilha da Boa Vista. Com exceção da Escola Nova na cidade de Sal Rei, do pólo do Rabil e da Escola Secundária da Boa Vista, os alunos voltaram às salas de aulas. Estivemos na escola Riba D´Olte. Conversamos com as professoras Cecy e Carla Lima. Estas mostram-se preocupadas. Dizem que não estão preparados para o arranque das aulas, uma vez que faltam materiais de proteção, e materiais para higienização. As professoras Cecy e Carla Lima sublinharam que não receberam qualquer informação a cerca de covid-19. Preocupados, as professoras chamam a atenção da ministra da educação. E apelam aos pais a informar os filhos. Sete das 10 escolas abriram portas esta quinta-feira A delegada do Ministério de Educação na ilha afirma que estão a tentar criar as condições mínimas para o funcionamento das escolas. Quanto a queixa dos professores sobre a falta de materiais de proteção e materiais para higienização, Rizandra Gabriel sublinha que a delegação vai entregar máscaras aos professores e pessoal de apoio operacional. Assegurou ainda que já tem autorização para fazer a contratação de mais pessoas que vão ajudar na questão de higienização das salas de aulas. Os alunos voltaram esta quinta-feira às salas de aulas. Na ilha da Boa Vista, em 3 escolas decidiu-se adiar o arranque das aulas, explica a delegada do Ministério de Educação na ilha. Tendo em conta a pandemia e covid-19, há algumas orientações a seguir, como a higienização das mãos. No primeiro dia de aula, para além da falta de materiais para higienização, os professores queixaram-se também da falta de materiais de proteção. Rizandra Gabriel assegura que a delegação vai oferecer máscaras aos professores, e funcionários das escolas. Quanto a limpeza das salas feita pelos professores, a delegada do ministério de Educação anunciou a contratação de pessoas para ajudar na higienização das escolas. Apenas na cidade de Sal Rei, devido ao número de alunos, as turmas foram divididas em dois grupos


pub

Comentários

pub

Pesquisar