Crônica - Jogo d' Palavra

Crônica de Benvindo Neves

3ª jornada do Campeonato Nacional: entre o "velhinho" de muletas que ainda dá cabeçadas, o leão desdentado e a primeira goleada ao cabo de 18 jogos


27 Abr 2018 por Benvindo Neves

Não, não lhe chamem de velho porque, afinal, velhos são mesmo os trapos. No fundo foi esta a mensagem que Fernando Neves, Nando, quis passar no Estádio Municipal do Porto Novo, na semana passada, quando marcou o golo do Mindelense frente à Académica do Porto Novo. O Central encarnado, já quarentão, desferiu um golpe certeiro de cabeça, dando o melhor seguimento a um pontapé de canto.

Nos festejos, Nando arrancou uma das bandeirolas de canto e usou-a como bengala, imitando um velhinho com dificuldades de locomoção. A imagem, a que recordar, não é nova no mundo do futebol. Foi o camaronês Samuel Eto´o quem tornou célebre esse curioso festejo, em resposta a uma provocação do treinador português José Mourinho. Estaria, então, Nando a responder alguma provocação vinda das bancadas do estádio Municipal do Porto Novo? Ou será que simplesmente quis chamar atenção para o facto de, apesar da idade, está longe de ser considerado um jogador velho?

Nando é já, sem dúvida, uma das figuras desta edição do Campeonato Nacional de Futebol. O experientíssimo central tem se assumido como um verdadeiro patrão no eixo da defesa do Mindelense e, juntamente com o também veterano colega, Toy Adão, sofreram, em mais de 270 minutos, um único golo. E de penalti! Na verdade quem viu Nando, há cinco anos, a capitanear Os Tubarões Azuis na sua estreia absoluta numa fase final da CAN, ficou com a certeza de um grande jogador, um senhor Capitão. Aliás, não foi a toa que a sua decisão de deixar a selecção logo após o último jogo de Cabo Verde na África do Sul, provocou na altura uma onda de lamentações, inclusive com pedidos expressos de vários quadrantes da sociedade cabo-verdiana para que reconsiderasse a decisão. Nando levou adiante sua decisão: deixou a selecção mas não abandonou os relvados. Continuou a jogar na Europa até que chegou a oportunidade de integrar a equipa técnica da selecção nacional, então liderada por Lucio Antunes. Estando agora com novas responsabilidades, era natural que Nando viesse a pendurar as botas. Quem imaginou o contrário? Mas, qual não foi nosso espanto, o "fominha" aparece no inicio da temporada a representar o Mindelense nas provas regionais de São Vicente.

E, com a sua experiência ajuda a renovada equipa de Rui Alberto Lopes Leite a conquistar mais um campeonato regional e assim marcar presença em mais um campeonato Nacional. Fernando Neves, Nando, ainda vai ser uma das grandes figuras deste campeonato. Basta olharmos para a sua performance nos três jogos que o Mindelense já fez. Até parece que te metade dos anos que já carrega sobre o corpo!

Palmeira, um regresso para matar saudades
É sabido que o campeonato Nacional de futebol deste ano tem a particularidade de juntar uma meia dúzia de equipas que andavam há muito tempo arredadas da competição. O Barreirense do Maio levava 10 anos sem sentir o sabor desta competição. Os Foguetões e a Académica da Praia regressaram depois de 9 anos de ausência. O Morabeza esteve desaparecido durante 7 anos e o Scorpion, 5. Mas o sumiço mais drástico era da Palmeira. A equipa salense precisou de longos 18 anos para voltar a sentir o gosto da maior prova do futebol nacional a nível de clubes. Ora, em 2000, Palmeira não marcara qualquer golo nos dois jogos que fez na competição. Neste regresso, o conjunto verde não marcou na primeira jornada. Tchoca, na segunda jornada, frente ao Sporting da Praia, assinou o primeiro golo da Palmeira neste campeonato. A equipa marcava assim um golo no campeonato Nacional, mais de 30 anos depois conforme notou o nosso colega jornalista Marcos " Xuster " Fonseca , na Tarde Desportiva da RCV, nesse dia. Tchoca teve boa costa! Uma semana depois, frente ao Barreirense, voltava a marcar e abria caminho para uma goleada de 4-2 imposta aos maenses. Ao fim de 3 jornadas, em 18 jogos, Palmeira é a única equipa a marcar mais que 2 golos num só jogo. É a equipa até agora com melhor ataque, 5 golos. Para quem vinha de uma seca tão prolongada...

Finalmente, uma palavrinha ao campeão nacional em título. O Sporting da Praia, ao cabo de 3 jornadas, é , juntamente com Sal Rei da ilha da Boa Vista, a equipa com pior ataque, com apenas 1 golo marcado. Caso para dizer que os "Leões" da Capital ainda estão sem dentes neste campeonato.


pub

Comentários

pub

Pesquisar