Crônica - Jogo d' Palavra

Crônica de Benvindo Neves

4ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol: entre Barlavento e Sotavento, o homem-golo que marca sozinho, o primeiro rugido do leão, a águia (novamente) sem asas e outros olhares


04 Mai 2018 por Benvindo Neves

“Barlavent ou Sotavent, nôs tud equivalent…” Assim cantou, há já uns bons pares de anos, o rapper Eddy Fortes, o tal fort mod grogue. Pois bem, o jogador da Palmeira do Sal, Latch, certamente não terá pensado como o rapper são-vicentino, e caiu neste Jogo d’Palavra. Sim, gent te estód sima pulton!

Ao abordar o jogo que a sua equipa fez no Maio (derrota 3-1 frente ao Barreirense) referente à quarta jornada do Campeonato Nacional, Latch seguiu a linha do seu treinador e mostrou não ter gostado da prestação de Walter Monteiro, jovem árbitro actualmente filiado no Conselho Regional de Arbitragem de Santiago Sul. E estranhou o facto de os jogos da Palmeira estarem a ser dirigidos por árbitros que vêm “só de zonas de Sotavento, e nenhum árbitro de Barlavento, nem nada”.

Palavras ao vento, El Tchitcharito? De Barlavento ou de Sotavento, não seremos, de facto, todos equivalentes? Sendo assim, não importa de onde vêm os homens do apito. Curioso é que Walter Monteiro, o árbitro do Barreirense x Palmeira, é mucin de Barlavento, agora a residir na Praia. Ainda, vale recordar que, antes, na segunda jornada, o jogo entre Palmeira e Sporting foi dirigido por Anilton Bartolomeu, outro “barlaventino”, outro répés de Sintadés, tal como Walter.

Mas, esqueçamos esta reclamação do Latch, porque, afinal, dos lados do Sal chegam bons ventos. À entrada para a quinta jornada do campeonato nacional, a Palmeira é a equipa com o melhor ataque na competição, seis golos marcados. Até agora, como já tínhamos notado numa crónica anterior, os campeões do Sal são a única equipa a marcar mais de três golos num só jogo.

O LEÃO RUGIU... DEPOIS DE MAIS DE 300 MINUTOS DÊRMNHÔC
O Campeão Nacional em título, o Sporting da Praia, ao cabo de 4 jornadas, lá conseguiu a sua primeira vitória. Mas, magrinha, frente ao Vulcânico. Três pontos que puseram o leão de novo na rota da qualificação para a segunda fase, ainda que esteja dependente de terceiros. Apesar da recente vitória, o Sporting mantém o estatuto de pior ataque do campeonato, juntamente com o Sal Rei: 2 golos marcados.

ÁGUIA DEPENADA?
Por falar em Sal Rei, parece que “As Águias” não conseguem voar fora da Boa Vista. A equipa campeã nacional em 2004, é actualmente tricampeã da Ilha das Dunas. Mas nestes três anos consecutivos no Campeonato Nacional, os encarnados têm sido uma autêntica decepção. Na época passada então…! Todos devem estar recordados da campanha decepcionante, em que a equipa não conseguiu fazer qualquer ponto nos seis jogos que realizou. Ora, tal como no ano passado, nesta edição do campeonato nacional, Sal Rei volta ser a primeira equipa a ficar sem hipóteses de chegar à próxima fase. Quo vadis, futebol da Boa Vista?

XOLOTE E ZICO, OS ARTILHEIROS
Por último duas notas individuais: Xolote, que início de campeonato!? O ponta-de-lança da Académica do Porto Novo entrou de pé quente nesta competição (Pé e cabeça, já agora.) Ao fim de 4 jornadas, Xolote leva 5 golos marcados, dois dos quais ao Mindelense, um já cliente habitual do jogador. Xolote já marcou em todos os jogos deste Campeonato. Tem, por isso, uma média de mais de um golo por partida. O mais curioso é o facto de mais nenhum atleta da equipa porto-novense ter marcado ainda neste campeonato. À entrada para a quinta jornada, a Académica, juntamente com o Barreirense, tem o segundo melhor ataque do campeonato. Bem, melhor mesmo é dizer que Xolote tem o segundo melhor ataque da competição. Zico, o capitão do Barreirense, tem estado em destaque na equipa maense. É o segundo melhor marcador da prova, com 3 golos. Na quarta jornada foi o principal carrasco da Palmeira. Uma vitória que, certamente serviu para trazer de volta quem já se tinha afastado. Nas declarações no final da partida, Zico deu a cara e falou da importância da vitória já que, conforme afirmou, a equipa já estava a se sentir isolada. Isolada dos adeptos, isolada da própria direcção. Caso para se dizer: é na derrota que se conhece quem é quem, não é Zico?

BANDEIRA AMARELA
E já que estamos no Maio, Jogo d´ Palavra notou com satisfação que, depois do relato ao relento, e que abordamos aqui, na jornada seguinte a comunicação social teve lugar a um palanque, daqueles usados pelos nadadores salvadores para vigilância das praias de mar. Melhorou? Sim, bastante! Até apetece dizer que o estado de segurança dos relatores e comentadores no Estádio Municipal do Maio saiu do vermelho, mas… ainda está longe da bandeira azul.


pub

Comentários

pub

Pesquisar