Notícias

Governo disposto a reduzir as discrepâncias em termos do funcionamento da administração pública do Estado no Sal e na Boavista


Ulisses Correia e Silva - Primeiro Ministro
12 Jan 2017 Economia


As duas ilhas constituem importantes centros de investimento turístico estrangeiro e que em termos de administração pública parecem ter parado no tempo.


Esta foi uma das críticas imputadas ao Estado no encontro entre o Chefe do Governo, ladeado pelos ministros das Finanças e da Economia, e a associação empresarial europeia em Cabo Verde.

Ulisses Correia e Silva fala em empregar outra dinâmica de desenvolvimento, sobretudo descentralizada, para dotar o Sal e a Boavista de outras condições de funcionamento da ADP.

Na reunião a associação empresarial europeia pôde explanar as suas preocupações, embora antigas e bastamente conhecidas. A excessiva burocracia do aparelho administrativo cabo-verdiano foi apontada como principal inimiga dos empresários. O Primeiro-ministro está consciente desse empecilho e com os olhos postos na melhoria do actual cenário.

Um próximo encontro ficou marcado para acontecer ainda no trimestre em curso. São convocados os dirigentes da administração pública, Empresas do Estado, Institutos e Agencias de Regulação. A intenção de Ulisses Correia e Silva é aclarar a ideia de focalização do serviço público.

O fim último é o de empreender um relacionamento saudável com o sector privado. Ulisses Correia e Silva admite a possibilidade da criação de uma comissão especializada.

Há muito por fazer, admite o Chefe do Governo. Há que começar a empreender mudanças concretas, na área da regulação, aludida no encontro com a associação empresarial europeia, vai-se diminuir o período entre os ajustamentos afirma o Primeiro-ministro.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar






Publicidade