Notícias

2016 não foi dos melhores e termos das receitas geradas no sector do Loto Nacional


20 Jan 2017 Economia


De Janeiro até Outubro do ano passado a Cruz Vermelha de Cabo Verde registou uma diminuição no valor das apostas na ordem dos 25%.


Os dados foram avançados pelo Presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, Mário Moreira, em entrevista à Rádio de Cabo Verde.

São números bastante diferentes de um ano para o outro. Se em 2015, o valor global das apostas no sector do loto e do Joker ultrapassou os 362 mil contos, em 2016 o valou caiu para pouco mais de 273 mil contos. Ou seja, cerca de 90 mil contos a menos, o que dá uma quebra na ordem dos 25%.

Conforme o regulamento, o valor total das receitas geradas pelas apostas no sector do loto e do Joker é dividido em duas partes. 50 % das receitas destinam-se aos prémios para os acertantes.

A outra metade é distribuída por oito beneficiários, a saber: 15 % vai para a administração de Jogos, a Cruz Vermelha recebe 12% , 10 %  é para a comissão dos agentes.

Quatro instituições do Estado recebem 3 % cada: a FICASE, o ministério da Cultura, a Direcção-Geral dos Desportos e a Direcção-Geral da Solidariedade Social. O ICCA tem direito a 1% do valor.

As receitas, entretanto, não vão directamente para essas instituições. A distribuição é feita via ministério das Finanças.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar






Publicidade