Notícias

Militantes do MpD renovaram os estatutos e viram mais mulheres a entrar para os órgãos diretivos do partido


Ulisses Correia e Silva - Presidente do Movimento para a Democracia
05 Fev 2017 Política


Esta é uma das conclusões saídas da Décima Primeira Convenção do Movimento para a Democracia que terminou ontem à noite, na cidade da Praia.


Ulisses Correia e Silva, o líder do MpD, saiu sorridente da Convenção. Viu o seu poder reforçado e, praticamente, todos os instrumentos que apresentou passaram com maioria qualificada. O deputado Miguel Monteiro é o novo Secretário-Geral do Movimento para a Democracia. O MpD reforçou a presença de mulheres nos órgãos directivos do partido.

Porém, os delegados recusaram consagrar nos estatutos do partido incompatibilidades e inelegibilidades entre cargos partidários e públicos.

A proposta, apresentada pela direcção do partido, pretendia introduzir alterações ao artigo 66 dos estatutos do MpD, no sentido de impedir os militantes de acumularem cargos de direcção partidária com posições de chefia na administração pública ou em empresas participadas pelo Estado.

Vários delegados entenderam a proposta como limitadora e discriminatória dos direitos dos militantes do MpD em relação aos de outros partidos.

Ulisses Correia e Silva prometeu levar esta iniciativa legislativa ao Parlamento ainda este ano. Entende que para a sua aprovação não requer uma maioria de dois terços.

Concluída a Convenção importa saber se vai haver remodelação governamental ainda este ano, como reclamam parte da sociedade civil e dos militantes do MpD.

Os 330 delegados à Convenção acabaram com a figura de Administrador Geral do MpD e criaram o cargo de Secretário-Geral que passa a ter como titular o jovem deputado Miguel Monteiro.

Os vice-presidentes do MpD Fernando Elísio Freire, Olavo Correia, Janine Lélis e Luís Filipe Tavares conservaram os seus lugares.

A reunião magna do Movimento para a Democracia contou com vários convidados nacionais e estrangeiros de Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Portugal.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar






Publicidade