Notícias

Cabo Verde está pronto para agir caso detete qualquer tipo de irregularidade nas carnes importadas


23 Mar 2017 Sociedade


Este posicionamento é do ministro da Agricultura e da Agência de Regulação de Produtos Farmacêuticos e Alimentares quando questionados na sequência da operação “Carne Fraca” que colocou sob suspeita a carne no Brasil.


O ministro Gilberto Silva garante haver segurança nos procedimentos de importação das carnes, mas afirma, por outro lado, estar a monitorizar a situação no país.

Cabo Verde é um dos 150 países que consome carnes de aves e bovinos provenientes do Brasil e, como tal, não está indiferente perante o escândalo de supostas empresas brasileiras que vendiam carnes ilegais e de má qualidade.

Gilberto Silva, que também tutela a área da pecuária, diz que a situação está a ser monitorizada, apesar de a importação de carne para o arquipélago requerer uma autorização prévia de foro sanitário.

A ARFA, Agência de Regulação de Produtos Farmacêuticos e Alimentares, diz estar em articulação com a autoridade sanitária e a trabalhar no mercado para verificar se houve ou não entrada de carnes ilegais e de má qualidade em Cabo Verde. Mas antes disso, e sem querer alarmar os consumidores, diz Patrícia Alfama, uma das responsáveis pelo setor alimentar, que a ARFA está a investigar junto das autoridades brasileiras as reais irregularidades e o lote dos produtos.

As autoridades cabo-verdianas estão em articulação e a monitorizar o lote dos produtos de origem animal que deram entrada em Cabo Verde, especialmente os oriundos do Brasil. Apesar disso, garante o ministro da Agricultura e Pecuária que há segurança na importação dos produtos.

Caso se descubra que há carnes ilegais ou de má qualidade a circular no mercado cabo-verdiano, as autoridades mostram-se prontas a agir para garantir a segurança alimentar.

Esta é a reação das autoridades cabo-verdianas na sequência da operação “Carne Fraca” no Brasil que revelou alegados esquemas de corrupção envolvendo empresas, fiscais e inspetores sanitários daquele que é um dos maiores produtores de carne bovina do mundo.

As 21 empresas investigadas estão suspensas e a União Europeia anunciou o pedido de embargo para a carne brasileira, tendo a China, Chile e Correia do Sul decretado a mesma medida.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar






Publicidade