Notícias

PAICV quer saber porque ê que a Câmara de São Vicente trocou um terreno de 5.800 metros quadrados por um de 2.625 metros quadrados


Alcides Graça - Presidente da Comissão Política Regional do PAICV em São Vicente
09 Mai 2017 Política


Esse questionamento põe em causa o protocolo assinado no dia 21 de Março de 2017 entre a Câmara Municipal de São Vicente e o empresário Fonseca Santos e que define os termos de permuta de terrenos visando a requalificação e expansão do Hospital Baptista de Sousa


O assunto é um dos pontos da agenda da sessão da Assembleia Municipal de hoje e Alcides Graça, Presidente da Comissão Política Regional do PAICV em São Vicente, convocou a comunicação social, para denunciar aquilo que classifica de gestão danosa do município.

A permuta é lesiva para o município porque, conforme Alcides Graça, nessa transação, o empresário cede o espaço adjacente ao Hospital Velho, conhecido por campo de baskett e recebe os terrenos da Academia Carlos Alhinho e áreas envolventes, ganhando mais três mil, cento e setenta e nove  metros quadrados nessa troca.

O PAICV também quer saber porque é que a Câmara Municipal de São Vicente não definiu, no protocolo, o que é que o privado deve fazer nos terrenos cedidos, como impôs ao Governo.

"Esse mau cheiro tem um nome: gestão danosa". Por isso o PAICV vai levar essa questão ao tribunal, diz Alcides Graça, Presidente da Comissão Política Regional do PAICV em São Vicente.

Alcides Graça diz que a Câmara Municipal ao envolver uma infra-estrutura desportiva num negócio de terrenos, mostra que não tem uma política desportiva para a ilha e convida a população a estar presente, hoje, na Assembleia Municipal e demonstrar o seu desagrado por perder um dos poucos espaços desportivos mais emblemáticos da ilha.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar






Publicidade