Notícias

ARFA reafirma que uma única empresa cabo-verdiana importou 28 toneladas de ovos contaminados da Bélgica


Patrícia Miranda Alfama - Administradora Agência de Regulação e Supervisão dos Produtos Farmacêuticos e Alimentares
13 Set 2017 Sociedade


A Agência de Regulação e Supervisão dos Produtos Farmacêuticos e Alimentares (ARFA) reafirmou que uma única empresa cabo-verdiana importou 28 toneladas de ovos contaminados da Bélgica.


A ARFA garante que não constituíram perigo para a saúde pública, porque não houve uma exposição prolongada.

Esta garantia foi dada pela administradora da ARFA, um dia após a entidade ter emitido um comunicado, onde confirmou a importação de ovos provenientes da Bélgica.

Patrícia Alfama disse que o produto é tóxico, mas tem efeito para a saúde das pessoas só quando é consumido em grandes quantidades e durante muito tempo.

Cabo Verde passou a integrar, desde segunda-feira, o rol de 11 países que receberam ovos ou subprodutos contaminados com o insecticida fipronil, utilizado nos medicamentos veterinários para o combate de parasitas em animais.

Na conferência de imprensa, Patrícia Miranda Alfama informou que a importação aconteceu no mês de Junho e foi feita por uma única empresa cabo-verdiana, num total de 28 toneladas de ovos, que foram vendidos nas três primeiras semanas do mesmo mês na ilha de Santiago.

A administradora avançou que, no início de Agosto, a ARFA efectuou um rastreio, mas notou que os ovos contaminados com o insecticida fipronil, não permitido na cadeia alimentar, já não se encontravam disponíveis no mercado cabo-verdiano.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar





Inquérito Online