Notícias

Cidade da Praia com ruptura de stock de ovos devido a falta de ligação marítima com São Vicente


14 Set 2017 Economia

Empresas sanvicentinas produtoras de ovos, Sociave e Agropec, estão há duas semanas à espera de um barco para abastecer a cidade da Praia.

A capital está em ruptura de stock de ovos e os produtores não sabem quando é que haverá um barco para fazer a ligação São Vicente/Praia.

O transporte habitual tem sido o ferry Liberdade, cuja ida para a Cabnave, no início deste mês, não foi comunicada aos operadores.

O administrador da Sociave e da Agropec, o veterinário João Santos, diz que a não previsibilidade do transporte marítimo está a prejudicar o mercado. ”O fast ferry, que, normalmente, nesta altura do ano, vem semanalmente, veio na sexta-feira e já não regressou… o Praia d’Aguada, que era suposto sair todas as quintas de São Vicente, nunca mais apareceu…”.

João Santos espera enviar para a cidade da Praia “setenta e dois mil ovos , entre hoje e amanhã se um barco parceiro, que não é do circuito comercial, terminar a vistoria.”

São situações como esta, que dão azo à importação de ovos refrigerados e de duvidosa qualidade sanitária como aconteceu recentemente, refere o veterinário João Santos, que alerta para um outro problema que ele considera ainda mais grave: a excessiva gordura existente nos sub-produtos de frango que os importadores estão a fornecer aos cabo-verdianos. “A perna de frango importado contem muita gordura e isso está a contribuir para que muitos jovens apresentem problema graves de colesterol”, porque esse sub-produto “é o lixo de vem para Cabo Verde…infelizmente”.

João Santos, veterinário e administrador das empresas Sociave e Agropec, produtoras de carne de frango e de ovos, espera que a reguladora e as autoridades sanitárias «reforcem a fiscalização» e convida a classe política nacional a “defender a máxima que diz que o que é nacional é bom” e sublinha que os produtos nacionais poderiam estar a ser consumidos por milhares de turistas na ilha da Boavista “se houvesse transporte marítimo regular para essa ilha.”

Abastecer a ilha do Sal tem sido menos problemático “graças à regularidade das viagens dos navios Conceição Maria e Ribeira de Paúl.”

Neste momento, o grande problema é conseguir um barco que possa levar a encomenda semanal de setenta e dois mil ovos para o mercado da Praia que está em ruptura de stock, remata o administrador das empresas sanvicentinas, Sociave e Agropec.


José Leite - RCV


Reportagem RCV com jornalista José Leite


Comentários

Pesquisar






Publicidade