Notícias

Complexo de Pesca de Cova de Inglesa recusa-se a receber pescado das embarcações nacionais


João de Deus Lima Junior - Presidente Associação dos Armadores de Pesca de Cabo Verde
19 Out 2017 Economia


Os barcos de pesca industrial estão amarrados ao cais porque o Complexo de Pesca de Cova de Inglesa recusa-se a receber pescado das embarcações nacionais.


A denuncia é da Associação dos Armadores de Pesca de Cabo Verde, APESC. Conforme João de Deus Lima Junior, Presidente da APESC, essa tomada de posição da Frescomar CPCI, empresa que gere o Complexo de Pesca de Cova de Inglesa, surge em má hora, porque toda a frota estava envolvida na captura de grande quantidade de gaiado, aqui na zona de Barlavento.

O tempo é de moia de gaiado, como há muito não se via. João de Deus Lima Junior diz que a APESC não vai aceitar que os armadores sejam prejudicados devido a divergências de terceiros.

Por não aceitar esta medida de retaliação, o Presidente da APESC exige que o contrato de concessão seja socializado para que todos os pormenores dessa concessão sejam conhecidos por todos os operadores do setor das pescas e pede a intervenção urgente do Governo para a reposição da normalidade.

Os armadores de pesca querem voltar a trabalhar o quanto antes e avisam que não vão ficar de mãos atadas, vendo camiões atrelados a transportar pescado da plataforma de frio para a Fescomar. Enquanto esperam, a pesca nacional está a perder dinheiro, realça João de Deus Lima.

O lamento dos pescadores numa altura em que há abundância de gaiado nos mares de Barlavento. Peixe que não pode ser capturado porque o Complexo de Pesca de Cova de Inglesa não recebe pescado das embarcações nacionais enquanto não for resolvido um diferendo negocial entre a ENAPOR e a Frescomar Grupo Ubago.


MCSA - RCV


Comentários

Pesquisar






Publicidade