3º dia do AME marcado por atuações de bandas estrangeiras do Canadá, Venezuela, Itália e Japão-EUA

04 Abril de 2024

A+ A-

Le Panda do Quebec, Canadá, a Banda Insólito Universo, da Venezuela e os Brown Rice Family, do Japão,  integram o cartaz de grupos estrangeiros participantes no segundo dia do Atlantic Music Expo (AME). A banda de Rock "Os Primitive" e a cantora Gabiriela Mendes de São Vicente foram as únicas actuações nacionais. Foi mais uma noite de muita diversidade musical.

O 3º dia do Atlantic Music Expo 2024 com a mesma intensidade e diversidade do dia anterior. Um ambiente de festa, muito convívio e de intercambio. Aliás, esta atuação do Le Panda - cantor do Canadá, demonstra bem o espírito do AME. 

A conexão do Le Panda com músicos nacionais, como o saxofonista Totinho e N´du e a sua banda, foi tão perfeita que deixou o cantor do Quebec maravilhado. Le Panda gostou de Cabo Verde e garante que esta não será a única visita a estas ilhas do Atlântico. Muita energia, muita felicidade. “As pessoas aqui em Cabo Verde são simpáticas, todo o mundo a sorrir. Está a ser uma experiência fantástica, gostaria de poder voltar. Imagina que esta manhã no Canadá houve uma tempestade de neve, e estou muito feliz de estar aqui neste momento. Sabes tocar com outros músicos, as vezes nunca se sabe o que vai acontecer. Pode ser algumas vezes bom, outras vezes não. Mas desta vez, oh meu Deus. Estes rapazes são muito bons. Foi maravilhoso, são extremamente profissionais. Eu acho que foi uma banda de estrelas”.   

Do Canadá para Venezuela. Outra abordagem musical com o Insólito Universo. A música afrolatina marcou presença na Praça da Rua Pedonal. Uma banda de música tradicional venezuelana que exibe também muito da África no seu pulsar, representado no som dos tambores. Aliás até mesmo o violão latino é tocado de forma percussiva. 

"Para nós, estar aqui em Cabo Verde, em África, é uma coisa grandiosa. A tradição afro-venezuelana é muito importante para nós. Os instrumentos, a guitarra que é tocada de forma percussiva, que imita os tambores - sabes que temos na tradição afro-venezuelana algo semelhante à percussão do Congo. É a nossa primeira vez em Africa. O Atlântico e a história comum vista nas paisagens, na temperatura, no sol, na vegetação e na comida".Do continente Americano para a Europa. Guiliani Gabrielle trouxe a Itália à Pracinha da Escola Grande. Um som denso, com muita percussão, violino, com um vibe um tanto ou quanto rock numa relação com a tradição italiana. 

Do rock italiano para rock crioulo. Os Primitive também subiram ao palco principal do AME para mostrar que aqui nas ilhas também faz-se rock and roll 

A noite do terceiro dia do AME foi também feita de música tradicional cabo-verdiana. Quem há muito não via Gabriela Mendes, teve oportunidade de ouvi-la, pela primeira vez no Atlantic Music Expo. Esta cantora mindelense elogiou o Atlantic Music Expo - esta iniciativa que segundo ela deve continuar. 

A noite foi fechada com chave de ouro, com a atuação de uma banda eclética, Brown Rice Family, que mistura Japão com Estados Unidos. E o resultado um caldeirão sonoro.  

Pode Interessar

Programação

Mais Acedidos

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Videos que pode Interessar