AME 2024: Conferência defende festivais como impulsionadores da proteção ambiental

02 Abril de 2024

A+ A-

AME, Atlantic Music Expo, está na estrada desde ontem à noite. Hoje o dia é dedicado a  conferências, a primeira, logo de manhã, vai defender que os festivais devem ser vistos como pontos de influência para estimular a sociedade civil a proteger o ambiente. Posição defendida por Filipe Tavares, do Eco Festival Azores Burning Summer, que, no palácio da Cultura Ildo Lobo a partir das 10H30, vai abordar o tema "Eventos Sustentáveis (Ambiente, Economia e Sociedade). 

Filipe Tavares, do Eco Festival Azores Burning Summer, diz que durante a conferência vai transmitir aos participantes a experiência dos Açores.

No que diz respeito à gestão de resíduos, Filipe Tavares frisa que não basta educar e sensibilizar, mas é preciso investimento.

O conferencista aponta uma das medidas a serem utilizadas para a diminuição do plástico nos eventos culturais.

A conferência sobre "Eventos Sustentáveis: Ambiente, Economia e Sociedade" vai decorrer ao longo da manhã de hoje.

Durante a tarde, haverá um workshop sobre "Formalização do setor artístico".

O Ministro da Cultura pede a participação dos artistas em todos os momentos do AME para lá das atuações.

O AME foi aberto com uma atuação da Academia Cesária Évora vista por Abraão Vicente como símbolo da resistência dos artistas e projetos apadrinhados pelo Ministério da Cultura e Industrias Criativas.

Abraão Vicente participa hoje à tarde numa conversa sobre a formalização do setor artístico que tem como convidado o Vice Primeiro-ministro e Ministro das Finanças, Olavo Correia.

Ouça, em baixo, a reportagem completa com jornalista Ailson Martins

Pode Interessar