Final Nacional de Futebol Sub-17: jovens jogadores demonstram saber ganhar e perder

12 Abril de 2023

A+ A-

Muito se tem falado dos dois jogos do campeonato nacional de futebol sub-17,  Batuque x Ultramarina e EFIZ x Ultramarina, em que houve episódios de agressão física num deles, e suspeitas de viciação de resultado no outro.

Ora, tirando esses casos, o campeonato foi bastante correto, com elogios de muito fair play. É o caso, por exemplo, do jogo da final em que o Sporting venceu a EFIZ nos penaltis, depois de um empate 3-3 nos 120 minutos.

No fim de tudo, jogadores de uma de outra equipa trocavam abraços e sorrisos. Apesar de ter perdido a final, o treinador da EFIZ, Aguinaldo do Rosário, ainda teve disposição para muito humor e desportivismo nas entrevistas. "Estava há momentos a gozar com eles (os jogadore da sua equipa) a dizer-lhes para mudarem aquelas caras feias de tristeza, que tinham era de ficar felizes com o grande jogo que fizeram", brincou o técnico.

Entre os jovens jogadores, também foi notório o saber ganhar e saber perder. Cauã, do Sporting, deixou palavras elogiosas à EFIZ. "Eles formam uma grande equipa, ganhámos no spenaltis, enfim é assim o futebol, um é que tinha de ganhar".

Edilmar, da EFIZ, devolveu a gentileza dizendo que ficou feliz com o facto de o Sporting ter sido campeão nacional. "Sinto-me feliz por eles. Por tudo aquilo que fizeram, mereciam esta final"

Momentos de muito fair play na final do Campeonato Nacional de Futebol Sub-17 e que devem servir de exemplo.

Há quem considere que os casos de violência ocorridos na primeira fase, no jogo entre Batuque e Ultramarina foi um caso isolado. Jorge Conceição, o selecionador nacional de futebol das camadas mais jovens esteve a acompanhar atentamente a competição e não tem dúvidas de que o fair-play imperou.

Oiça, a seguir, a matéria com as declarações dos protagonistas

 

Pode Interessar

Programação

Mais Acedidos

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Videos que pode Interessar