Morreu cabo-verdiano agredido nos Açores. SOS Racismo organiza vigília

19 Março de 2024

A+ A-

O homem de nacionalidade cabo-verdiana, de 50 anos, agredido na madrugada de domingo, junto a uma discoteca da cidade da Horta, na ilha do Faial, Açores, não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer no hospital, depois de ter sido colocado em coma induzido.

De acordo com a Lusa, a Polícia de Segurança Pública está a investigar o caso, tendo já identificado as pessoas envolvidas e encaminhado o processo para o Ministério Público. Apesar do suspeito já ter sido identificado, ainda não terá sido detido. De acordo com o SOS Racismo, várias testemunhas garantem que os motivos das agressões que provocaram a morte a Ademir Araújo são "puramente racistas". 

Por essa razão, o movimento apela à participação na vigília e manifestação marcada para as 18h desta terça-feira, 19 de março, em frente à Câmara Municipal da Horta. Nas redes sociais, muitos são os que manifestam o seu pesar pela morte repentina e trágica de Ademir Araújo, que trabalhava na ilha do Faial, no ramo da construção civil, e pedem justiça.

Pode Interessar

Videos que pode Interessar