Palcos da Rua Pedonal e da Pracinha da Escola Grande, no Plateau, receberam artistas cabo- verdianos e brasileiros no 2º dia do AME

03 Abril de 2024

A+ A-

Jorge Tavares, Banda Sizal, Dendé de Salvador da Baía e sua banda, Stê Mandela, Manu Reys e Camila Reis abriram o primeiro dia de grandes shows do Atlantic Music Expo (AME), na rua Pedonal e na Pracinha de Escola Grande, no Plateau. Uma noite em que ritmos do Brasil e de Cabo Verde estiveram em evidência, com apresentações que não fogem a abordagem habitual do cancioneiro brasileiro e cabo-verdiano.

Ao músico, cantor e compositor Jorge Tavares da ilha do Maio coube a honra de abrir o espetáculo da Rua Pedonal - um dos dois grandes palcos do Atlantic Music Expo, no Centro Histórico do Plateau. A apresentação marca a estreia no AME deste cantor e compositor, que conta, no seu acervo de criações, com mais de duzentas músicas já escritas e registadas. São mornas, coladeiras, batuco, funaná, tabanka enfim um passeio alargado pelos ritmos do arquipélago. Ontem, foi um dia marcante para Jorge Tavares, que subiu subiu ao palco para partilhar com a plateia algumas das suas composições - entre elas uma homenagem que o mesmo fez ao saudoso Nhonhô Hopffer.


Da rua Pedonal para a Pracinha de Escola Grande. Uma outra abordagem musical, mais tecno, mas com muito sentimento crioulo. A banda Sizal - um sexteto de jovens de São Vicente mostrou muita versatilidade e domínio do palco. Uma promessa no cenário da música nacional.

De Cabo Verde para o Brasil, com Dendê, músico de Salvador da Baía e sua banda, que do palco dois do AME, brindou os presentes com sonoridades afro-brasileiras. Do forro ao camdoblê, muita percussão e gingado do nordeste do Brasil, em pleno Centro Histórico da Praia.

De volta ao palco da Pracinha, o jovem Mano Reys, estreou-se num Atlantic Music Expo, com um repertório diverso, com destaque para ritmos como zouk e funana.

Pode Interessar

Programação

Mais Acedidos

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Videos que pode Interessar