Presidente da República confirma que recebeu o relatório do Tribunal de Contas sobre o caso dos salários da Primeira-Dama

03 Julho de 2024

A+ A-

O Presidente da República confirma que já recebeu o relatório da auditoria que o Tribunal de Contas fez sobre o caso dos salários de mais de 300 contos mensais pagos à Primeira Dama Débora Katisa Carvalho e que o Conselho de Administração da Presidência já exerceu o contraditório estando, agora, a aguardar a decisão do Tribunal de Contas. Quanto á auditoria que a Inspeção Geral das Finanças está a fazer sobre o mesmo assunto ainda não recebeu o relatório, afirmou José Maria Neves ao programa Ponto Por Ponto da TCV deste terça-feira onde garantiu também que as relações com o Governo tem sido normais. 

Pela primeira vez neste mandato presidencial a Presidência da República passou a pagar um salário á Primeira dama e o montante ultrapassava os 300 contos. O assunto gerou celeuma e a Presidência teve de suspender o salário e solicitar auditorias á Inspeção Geral das Finanças (IGF) e ao Tribunal de Contas. Ao programa Ponto Por Ponto desta terça-feira o Presidente da República garantiu que já recebeu o relatório da auditoria do Tribunal de Contas e que o Conselho de Administração da Presidência já exerceu o contraditório e está a aguardar a decisão final desse tribunal.

A situação jurídico-administrativa da Primeira Dama será clarificada no âmbito da proposta da nova orgânica da Presidência da República submetida ao Governo há mais de 2 anos, mas o Governo ainda não deu a devida atenção ao assunto, afirma José Maria Neves que estranha este atraso.

O Presidente da República garante, entretanto, que as relações com o Governo tem sido normais apesar de vez ou outra emitir críticas sobre determinados dossiers da governação É que o Chefe de Estado não governa mas tem o poder da mensagem e deve dizer aos cabo-verdianos se discorda ou concorda com a forma como determinadas áreas são geridas, assegura. Mas diz que procura não alimentar as polemicas.

Um dos dossiers que tem criticado tem que ver com os transportes, por exemplo e reitera que a situação é difícil e até põe em causa a coesão territorial e a competitividade da economia cabo-verdiana, sublinha.

José Maria Neves considera que tem cumprido, tem procurado dialogar com o Governo, com as principais forças políticas do país, sindicados, patronato, ONG´s , personalidades independentes, municípios e diáspora no sentido de unir, cuidar e proteger os cabo-verdianos. Afinal o Presidente da República deve ser  a síntese da Republica, diz. 

Pode Interessar

Programação

Mais Acedidos

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Videos que pode Interessar