A economia cabo-verdiana deverá crescer 5,5% em 2021

06 de janeiro de 2021

Edifício do Banco de Cabo Verde na cidade da Praia
A+ A-

 

A projecção é do Banco Mundial que também prevê um crescimento da economia mundial em 4% neste ano. 

 

No entanto, o Bando Mundial condiciona estas projeções a uma boa distribuição das vacinas contra a Covid-19 e a implementação de reformas que incentivem o crescimento.

As perpestivas apontam para um crescimento global de 4%, mas pode ficar apenas por 1,6% se não se controlar a pandemia e se não forem adotadas políticas públicas que estimulem o crescimento.

Por causa de elevado nível de incerteza, o Banco Mundial recomenda as autoridades a adotarem medidas políticas para equilibrar os riscos provenientes do alto endividamento e do aperto fiscal antecipado, além de promover a resiliência, salvaguardando a saúde e a educação, melhorando a governança e aumentando a transparência da dívida.

Para Cabo Verde, o Banco Mundial prevê um crescimento 5.5%, depois de uma retração estimada em 11% em 2020. Esta retracção se deve ao impacto da pandemia no turismo, já que Cabo Verde é fortemente dependente das viagens e do turismo.

Segundo o relatório perspectivas económicas globais 2021 publicado esta terça feira, o país deverá crescer superior a média da África subsariana estimada em 2,7%. Lê-se no relatório que a pandemia é projetada para fazer com que os rendimentos per capita a região da África subsariana diminuam 0,2% este ano, estabelecendo Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) ainda mais fora do alcance em muitos países da região.

Segundo o Banco Mundial a previsão é que esta inversão tenha empurrado mais algumas dezenas de milhões de pessoas para a pobreza extrema no ano passado e que empurre mais este ano.

No entanto, o relatório prevê que o crescimento das exportações acelere gradualmente na região, em consonância com a recuperação da atividade entre os principais parceiros comerciais da região (Europa, China e EUA).

 

Humberto Santos - RCV

Disponibilizado online pela Multimédia RTC

Peça na íntegra, pelo jornalista Humberto Santos - RCV