Ritmo de crescimento registou o valor mais baixo dos últimos 22 trimestres consecutivos

12 de fevereiro de 2021

[foto Décio Barros]
A+ A-

O ritmo de crescimento económico voltou a abrandar no quarto trimestre do ano passado, registando o valor mais baixo dos últimos vinte e dois trimestres consecutivos. Os dados indicam que o clima de negócios é desfavorável. Quem o diz é o Instituto Nacional de Estatística, INE, que divulgou, hoje, o resultado dos Inquéritos de Conjuntura aos Agentes Económicos.

O documento diz ainda que, no decorrer do quarto trimestre de 2020, a insuficiência da procura e o excesso de burocracia e regulamentações estatais foram os principais constrangimentos do comércio em estabelecimentos, de acordo com os inquiridos.

No mesmo período, o indicador de confiança dos operadores do turismo manteve a tendência descendente dos últimos trimestres, registando o valor mais baixo dos últimos vinte e um trimestres consecutivos.

São os efeitos da insuficiência da procura provocada pela pandemia da Covid-19, que é, neste momento, o maior obstáculo do sector.

No comércio em feira, o indicador de confiança registou o valor mais baixo dos últimos quarenta e sete trimestres consecutivos.

Os resultados apontam que o ambiente é desfavorável para os feirantes.

Os dados dos Inquéritos de Conjuntura aos Agentes Económicos referem-se ao último trimestre do ano passado.



Artigos Relacionados