Remo: atletas paralímpicos cabo-verdianos à espreita de Tóquio

19 de maio de 2021

A+ A-

Atletas do Remo Adaptado, Marco Bomtempo e Neusa Garcia, podem obter uma vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio deste ano.
 
Essa novidade foi comunicada, esta semana, ao Comité Paralímpico Cabo-verdiano pela Federação Internacional de Remo.
 
A participação nacional deverá ser conseguida através de um processo denominado Bipartida. Conforme conta o Secretário-geral do Comité Paralímpico. Mas para obterem uma vaga, continua Elton Gonçalves, os atletas terão que preencher requisitos junto do Comité Paralímpico Internacional. 
 
Neste momento, conta o responsável, o COPAC já procedeu à inscrição dos remistas, posteriormente passarão aos processos de licenciamento e, finalmente, de candidatura.
 
Candidaturas difíceis de obter, segundo o Secretário-geral do Comité Paralímpico, com o cancelamento de competições devido à pandemia e ainda ao nível dos adversários. Elton Gonçalves revela, entretanto, que uma das preocupações é procurar novas provas internacionais onde os atletas cabo-verdianos possam melhorar as suas marcas.
 
Os atletas cabo-verdianos do Remo Adaptado, Marco Bomtempo e Neusa Garcia, espreitam a possibilidade de obter uma vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio deste ano.
 
Pedro Paulo Moreira / RCV



Artigos Relacionados