Atletismo: Júlio Nagana explica escolha de Adriana e Eskilson para Campeonato Africano

03 de junho de 2021

Júlio Nagana, director técnico e seleccionador de Cabo Verde do atletismo
A+ A-

A escolha de Eskilson  Nascimento e de Adriana Almeida para representarem Cabo Verde no Campeonato Africano de séniores tem suscitado alguma reações. Gente ligada ao atletismo, nomeadamente alguns atletas, questionam os critérios que nortearam a seleção destes dois atletas.

O director técnico da federação Cabo-verdiana de Atletismo, Júlio Nagana, diz que por causa de dificuldades financeiras optou-se por uma atleta bolseira e um que já tinha um passagem financiada por uma camara municipal. “A federação está, neste momento, com situação financeira que não lhe permite selecionar atletas. Por isso, optamos por Adriana Alemida, uma atleta com bolsa olímpica e Eskilson  Nascimento que tem passagem financiada pela Câmara Municipal da Boa Vista. E aproveitamos para levar o Campeonto de África, Eskilson  Nascimento detentor do titulo de campeão nacional dos 100 e 200 metros. A federação está a fazer as coisas dentro daquilo que é o regulamento”.

A questão das marcas dos atletas e quem detém os recordes nacionais está também no centro da polémica.   Júlio Nagana tem a seguinte explicação: “A Adriana Almeida é uma atleta bolseira olímpica e tem o direito de solicitar ao Comité Olimpico a sua participação em provas para tentar os minimos para a qualificação para os Jogos Olimpicos. Não precisa ser selecionado. Além demais ela é recordista nacional. Em 2019, foi preterida pela atleta Eveline Sanches que era a atleta olímpica e ninguém reclamou”.



Programação

Ainda esta Semana

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Artigos Relacionados