Fundação Sima Júlia vai criar uma rede comunitária de apoio a idosos para evitar situações de violência

15 de junho de 2021

Teresa Mascarenhas
A+ A-

A Fundação Sima Júlia vai criar uma rede comunitária de apoio a idosos para evitar situações de violência que às vezes acontecem em silencio. Vem a propósito do Dia Mundial da Consciencialização da Violência contra a Pessoa Idosa que este ano tem como lema “Dormir bem, envelhecer melhor”, criada em 2006 pelas Nações Unidas e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa, a data é celebrada para chamar a atenção dos abusos verbais, emotivos, financeiros e corporais.

Além do mais, as Nações Unidas relembram todos os anos que a discriminação etária é uma grave violação dos Direitos Humanos e exigem o empenhamento dos governos, das instituições e da população para mudar a situação. 

A Presidente da Fundação Sima Júlia acredita que a pandemia da Covid-19 pode ter contribuído para o aumento de casos de violência contra idosos. 

Teresa Mascarenhas pede um olhar mais atento e interventivo de modo a proteger os idosos que são, muitas vezes, vítimas de violência no seio da própria família. 

A Presidente da Fundação Sima Júlia chama atenção para as situações de violência contra os idosos que, às vezes, acontecem em silêncio e de forma despercebida.

Teresa Mascarenhas denuncia várias situações de negligência de que alguns idosos são vítimas e que na sua opinião constituem, também, autênticas formas de violência. 

Acredita a presidente da Fundação Sima Júlia que a violência contra as pessoas da terceira idade tenha aumentado com a pandemia e causado mais sofrimento e transtorno às vítimas. 

E como forma de travar a violência contra os nossos mais velhos, a Fundação Sima Júlia vai criar em São Lourenço dos Órgãos uma rede comunitária que deve ser alargada a outros municípios do país. 

Trabalhar em rede para uma resposta mais efetiva aos idosos. É esta a intenção da Fundação Sima Júlia que hoje realiza uma jornada de reflexão sobre o lema a Violência silenciosa nas pessoas idosas”.



Artigos Relacionados