"Morremos como as árvores, de pé" - Stopira

17 de novembro de 2021

Stopira festeja como marcado à Nigéria (Foto: FCF)
A+ A-

Stopira voltou a estar em destaque no jogo desta terça-feira entre Cabo Verde e Nigéria. Depois de ter marcado na semana passada à Republica Centro Africana, o defesa-lateral, de 33 anos, assinou ontem o golo que deu o empate aos Tubarões Azuis diante das Super Águias.

Mas, em vez de marcar, o jogador preferia que Cabo Verde ganhasse.

“Mais que o golo era o objetivo da equipa, mas não foi conseguido. Ficamos tristes porque a nossa vontade era conseguir o primeiro lugar e marcar presença no play-off.”

Morrer como as árvores

Na conversa com a RCV ainda em Lagos, Stopira teve uma frase forte ao falar da eliminação.

“Saímos de cabeça erguida e, como disse aos colegas, se tivermos de morrer, morremos como as árvores, de pé. Por isso, acho que todo o povo cabo-verdiano deve sentir-se orgulhoso daquilo que temos feito e acreditar mais em nós. Estamos num processo de, mais para frente, conseguirmos o objetivo de chegar ao Mundial”, expressou o defesa lateral.

Stopira ultrapassou, na semana passada, a barreira dos 50 jogos ao serviço dos Tubarões Azuis e soube assinalar essa marca da melhor forma, marcando dois golos num espaço de três dias com a camisola da seleção nacional.

Benvindo Neves / Moisés Évora

 

Stopira nas alturas, como uma árvore! (Foto: FCF)



Artigos Relacionados