A musealização da casa de Cesária Évora continua ainda no domínio dos desejos

17 de novembro de 2021

A+ A-

Djô da Silva, produtor e manager da Diva dos pés descalços, assume que a não concretização do museu é o ponto fraco no processo de salvaguarda da memória da intérprete mais conhecida no mundo.
 
Isso vem a propósito da homenagem a Cesária Évora projetada para dezembro e que marca os 10 anos do seu passamento e os 80 anos de nascimento.
 
Djô da Silva fala esta manhã sobre o programa, mas leva o véu em entrevista à jornalista Nany Vaz
 
Durante uma semana e com várias atividades a Diva de pés descalços vai ser homenageada. A Praça Nova no Mindelo é o espaço escolhido, que para além de música recebe, igualmente, workshops cujos oradores são pessoas próximas a Cesária, conforme explica José da Silva.
 
Preservar a memória de Cesária Évora é o que se pretende com essa iniciativa. Quanto ao almejado museu, José da Silva adianta que é necessário o envolvimento do governo para a sua materialização.
 
Museu Cesária Évora continua sendo um amargo de boca para o produtor e manager José da Silva. Na manhã de hoje foi realizada uma conferência de imprensa no Alliance Française, Mindelo para o anúncio da programação da homenagem a Cesária Évora.
 
Este ano, a 17 de Dezembro, é marcado 10 anos do desaparecimento físico da Diva de Pés Descalços, que se estivesse viva, completaria 80 anos de idade.



Artigos Relacionados