Conferência Económica Africana é mais uma oportunidade para resolver o problema do desenvolvimento, José Brito

02 de dezembro de 2021

José Brito, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros
A+ A-

O financiamento do desenvolvimento de África no pós Covid-19, é este o objetivo da Conferência Económica Africana que começa hoje na ilha do Sal. Trata-se de uma organização conjunta do BAD, da Comissão Económica das Nações Unidas para África criada em 1958 e o próprio PNUD, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, José Brito, sem tirar valor ao evento, admite que se trata de mais uma conferência das Nações Unidas para tentar resolver o problema do desenvolvimento do continente africano.

Uma fonte da organização da conferência garante que nenhum dos seis Chefes Estado confirmados se deslocam ao Sal. É assim que sai da agenda o debate inicialmente previsto entre os Presidente de República sobre a questão do financiamento do desenvolvimento. 

José Brito defende que Cabo Verde como todos os países são chamados a dar opinião sobre qual deve ser o mecanismo para aumentar o financiamento. O também antigo ministro da Economia, Crescimento e Competitividade atribui a Cabo Verde o papel de chamar atenção sobre a responsabilidade de África.

José Brito alerta que o perdão da divida deve ser exaustivamente analisado e só tem caminho a fazer as dividas bilaterais e que relativamente àquelas dividas constraidas junto de instituições de natureza multilateral nem sequer é aconselhável falar em perdão. Como exemplo José Brito aponta o caso da divida de Moçambique mais em proveito das empresas suiças corrompendo as elites políticas.

A Conferencia Económica Africana começa esta manhã e decorre até domingo. O Presidente da República, José Maria Neves, fazer a abertura oficial.

 

Oiça em baixo a notícia, com as declarações de José Brito,antigo ministro dos Negócios Estrangeiros



Programação

Ainda esta Semana

Últimos Vídeos

Últimos Áudios

Artigos Relacionados